quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Sobre o cultivo, o colo, a cultura......o cuidado!!!!











"Quando o sistema cosmológico de Aristóteles deu lugar ao sistema astronômico de Copérnico, a distinção entre o mundo "mais alto" e o mundo "mais baixo" perdeu o sentido. Todos os movimentos passaram a obedecer as mesmas leis universais. Giordano Bruno, o primeiro a interpretar metafisicamente o sistema coperniciano mostrou o mundo como um todo infinito, sem pontos privilegiados"acima" ou "abaixo".

Um mundo que hospeda ainda hoje a fricção entre o modelo elástico do Império da Razão - que afirma a unidade e recusa o mutável - e o logos democrático do pluralismo - que legitima a tensão. Assumir a multiplicidade significa dessacralizar a Razão única. Operação indispensável para a identificação como habitante deste mundo do ser multifacetado, que ganhou novo contorno via antropologia e sua identificação das várias"razões culturais".Um ser que precisa ser compreendido e preservado justamente nas suas diferenças. Tempo da alteridade, do dissensso, de fuga do reducionismo das ideologias monistas.

Perfurar o mosaico da superfície em busca do plural, da cultura polimorfa. Da raiz latina de cultura(do verbo colo, que significa cultivar a terra)saem três dimensões : cultivo(do solo), culto(do passado) e cultura(o que se vai cultivar no futuro). Para os gregos , o que mais aproxima desta noção de cultura é a paidéia(de paidós, pedagogia), um trabalho de construção, educação da alma. Ou seja, de confecção do futuro.



Fragmento da Introdução do livro Danças Populares Brasileiras - uma pesquisa de Antonio José Madureira

Nenhum comentário:

Postar um comentário